Gandhi disse:

" Há o suficiente no mundo para todas as necessidades humanas. Não há o suficiente para a cobiça humana" - Gandhi

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Água - Abundância debaixo da terra

Os aqüíferos são grandes bolsões subter¬râneos de rocha que guardam uma imensa carga de água limpa e protegida da poluição. Atualmente, eles fornecem cerca de 50% da água potável do planeta, 40% da destinada à indústria e 30% da usada pelos sistemas de irrigação. Estima-se que essas talhas naturais guardem volume 100 vezes maior do que toda a água que corre pelos rios e córregos do planeta. Ou seja, a água escon¬dida pode ser uma salvação para a crise. No entanto, como grande parte das águas superficiais, os depósitos subterrâneos também estão ameaçados pela exploração desmesurada e pela poluição.
Alguns aqüíferos conservam água fóssil, que existe há milhões de anos. Essa água não é reposta naturalmente pela chuva porque o aqüífero é selado. Trata-se, en¬tão, de um recurso não renovável. Alguns aqüíferos desse tipo, como o de Ogallala, nos Estados Unidos, já sofrem grande bai¬xa em seu nível por causa da exploração
humana. No caso dos aqüíferos permeá¬veis à água da chuva, o problema aparece quando o ritmo de extração supera o de reposição. Esses aqüíferos estão também mais sujeitos à poluição. É o que ocorre com o aqüífero Guarani, que corre sob os territórios de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Há poços perfurados na região do Rio Grande do Sul e no interior paulista que deixam escorrer esgoto e agrotóxicos para o bolsão subterrâneo.
O Guarani é apenas um dos 27 aqüíferos em território brasileiro. Tido até recentemente como uma das maiores reservas de água doce do mundo, teve suas dimensões reavaliadas por uma pesquisa da Organização dos Esta¬dos Americanos (OEA) e do Banco Mundial. Tudo indica que o depósito seja menor no lado argentino. Pesquisadores estimam que 60% do reservatório esteja enterrado sob rochas de basalto, a 1,5 quilômetro de pro¬fundidade; nessa parte, a tecnologia atual ainda não permite a retirada da água.

Para saber mais leia Atualidades vestibular – Editora Abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário