Gandhi disse:

" Há o suficiente no mundo para todas as necessidades humanas. Não há o suficiente para a cobiça humana" - Gandhi

domingo, 18 de abril de 2010

Poluição das Águas

A - Introdução
"Poluição é a colocação de energia e matéria no lugar errado."
No ciclo natural dos elementos do ecossistema, energia e matéria são continuadamente recicladas. Assim sendo, certas substâncias, potencialmente poluentes, não são nocivas quando empregadas em quantidades apropriadas nos lugares corretos. Entretanto, se a quantidade de matéria for excessiva e o ambiente não for capaz de assimilá-la, ocorre um desequilíbrio, alterando toda a composição e a estrutura do ecossistema. Concretiza-se dessa forma, a poluição do ambiente. No Brasil, como em quase todo o planeta, as águas continentais e oceânicas estão seriamente poluídas e contaminadas (contaminação tóxica), sobretudo nas regiões mais povoadas e industrializadas. Os agentes poluidores são vários, podendo ser: esgotos residenciais e industriais, agrotóxicos utilizados na agropecuária, chuvas ácidas e químicas, mercúrio (empregado na indústria e no garimpo), petróleo, materiais sintéticos não-biodegradáveis, resíduos de carvão mineral.

B - Poluição dos Rios

Nas últimas décadas, os rios das áreas mais desenvolvidas do país vêm morrendo lentamente, conseqüência da acelerada e desenfreada poluição.
O rio Tietê que atravessa a cidade de São Paulo é altamente poluído, imundo e mal-cheiroso. Verdadeira cloaca industrial e urbana da principal região metropolitana do país, esse rio possui águas sem nenhuma transparência e coberta por óleo e detritos químicos e orgânicos. Em seu médio curso, o Tietê recebe a carga poluente de grandes afluentes: o rio Jundiaí, Piracicaba, Sorocaba e Capivari.
Desde 1950 já existiam planos para salvar o Tietê. Todos fracassaram. Atualmente existe um programa em andamento, contando com recursos financeiros e tecnológicos do Japão, visando à sua despoluição.
Além do Tietê, vários outros rios brasileiros de grande expressão estão perdendo a vida em conse-qüência da poluição.
O Iguaçu, próximo a Curitiba, o Tibagi, na região de Londrina, são rios paranaenses com sérios problemas de poluição; no Rio Grande do Sul a poluição atinge a bacia do Jacuí-Guaíba e suas outras bacias (Gravataí, Sinos, Taquari e Caí).
Os subprodutos da cana-de-açúcar (vinhoto ou vinhaça) afetam dezenas de rios nordestinos, inclusive o Capibaribe, que banha Recife. Em São Paulo as usinas de álcool/açúcar poluíram várias áreas, principalmente os rios da região de Ribeirão Preto (Rio Pardo, Mogi-Guaçu, etc.).
São Francisco, Paraíba do Sul, Cubatão são alguns dos outros rios com problemas de poluição.

C - A Eutrofização das Águas

Eutrofia = boa nutrição
A eutrofização é um fenômeno que consiste no aumento excessivo da fertilidade da água, provocando um grande crescimento e proliferação de algas microscópicas, tornando a água densa e verde.
Essas algas, ao morrerem e se decomporem, geram gases, exalando mau cheiro. Consumindo o oxigênio da água, impedem a vida dos peixes e tornam a água imprópria para o consumo.
A principal causa da eutrofização das águas é o excesso de nitratos e fosfatos, carregados até os rios e lagos através dos esgotos ou das águas pluviais que os retiram do solo (adubos utilizados na lavoura).

D - A Poluição dos Oceanos

Deserto no Mar
"Os oceanos cobrem 71% do planeta, mas 92% de suas águas podem ser comparadas aos desertos terrestres."
(Jacques Cousteaudurante a ECO/92. Revista VEJA, 17/6/92)
Na maior parte dos oceanos podemos distinguir duas zonas bem diferenciadas: a área superficial que vai até 100 metros de profundidade que é atingida pela luz solar, permitindo a realização da fotossíntese; a outra área mais profunda, rica em nutrientes, mas que não é atingida pela luz.
Somente nas regiões costeiras da plataforma continental, esses dois elementos (luz e nutrientes) encontram-se associados, possibilitando e viabilizando a vida vegetal e a animal.
As regiões estuarinas, os sistemas lagunares, os deltas e mangues são as áreas costeiras mais produtivas e de fauna mais rica.
Muitas lagoas à beira mar constituem verdadeiros "berçários de camarões".
A destruição desses ecossistemas (como já foi abordado no estudo dos mangues) compromete toda a vida do mar.
Os cientistas advertem: os oceanos estão exauridos. O mar foi transformado na lata de lixo da humanidade.

A Maré Negra

Verdadeiras catástrofes ecológicas estão ocorrendo cada vez com maior freqüência, resultantes de grandes vazamentos de petróleo no mar, devido a acidentes com navios petroleiros ou acidentes nos terminais petrolíferos nas operações de carga e descarga.
Esses constantes acidentes destroem plantas, aves, peixes, mariscos, siris e várias outras espécies.
São exemplos recentes os acidentes: petroleiro Exxon Valdez (Alasca); o vazamento no porto de La Coruña (Espanha); o acidente com petroleiro nas ilhas Shetlands (Escócia); a Guerra do Golfo (petróleo lançado no golfo Pérsico).
De 1967 a 1980 (em apenas 13 anos), ocorreram no mundo 240 colisões, naufrágios e incêndios de petroleiros. Além dos acidentes, os navios petroleiros costumam lançar (propositalmente) ao mar, nas proximidades dos portos, a água utilizada como lastro, carregada de óleo.


COC Empreendimentos Culturais Ltda.
Editora COC

3 comentários:

  1. ameeei. essas informaçõees salvaraam miinha viida.

    *---*

    ResponderExcluir
  2. adoreii me ajudaram muito no trabalho da escola =]

    ResponderExcluir
  3. com essas informações me toquei e pensei se eu poluir menos será melhor para mim parei de jogar papel,copo de guaracamp,saquinho de biscoito no chão e vi que mesmo as poessoas nao fazen do o que eu fasso mas o pouco que eu fasso sei que ajuda muuito

    ResponderExcluir