Gandhi disse:

" Há o suficiente no mundo para todas as necessidades humanas. Não há o suficiente para a cobiça humana" - Gandhi

domingo, 18 de abril de 2010

Mata Atlântica

A Mata Atlântica regula o fluxo dos mananciais que abastecem as cidades

São Paulo - Mesmo reduzida a 7,3% de seu território original e muito
fragmentada, a Mata Atlântica possui uma importância social e ambiental
enorme. Para cerca de 70% da população brasileira que vive em seu domínio,
ela regula o fluxo dos mananciais hídricos, assegura a fertilidade do
solo, controla o clima e protege escarpas e encostas das serras, além de
preservar um patrimônio histórico e cultural imenso. Na Mata Atlântica
nascem diversos rios que abastecem as cidades e metrópoles brasileiras.

Originalmente, a Mata Atlântica ocupava 1.290.000 Km2, ou seja, cerca de
12% do território brasileiro. Sua extensão levou à formação de diferentes
ecossistemas, que incluem as faixas litorâneas do Atlântico, florestas de
baixada e de encosta da Serra do Mar, florestas interioranas e matas de
Araucária.


A diversificação das espécies é a principal característica
desse ecossistema

Essa grande diversificação ambiental proporcionou à Mata Atlântica uma
enorme diversidade biológica. O total de mamíferos, aves, répteis e
anfíbios que ali ocorrem alcança 1361 espécies, sendo que 567 são
endêmicas (só ocorrem ali), representando 2% de todas as espécies do
planeta, somente para esses grupos de vertebrados. A Mata Atlântica ainda
possui 20.000 espécies de plantas - das quais 8.000 são endêmicas - e é o
segundo maior bloco de floresta tropical do país.

Um levantamento realizado em 1996 na Estação Biológica de Santa Lúcia, no
Espírito Santo, mostrou que, em apenas um hectare de Mata Atlântica, foram
encontradas 476 espécies arbóreas, pertencentes a 178 gêneros e 66
famílias. É a maior diversidade de árvores do mundo, superando todos os
valores conhecidos da Amazônia e demais florestas tropicais no mundo.

Apesar dessa grande biodiversidade, a situação é extremamente grave, pois
das 202 espécies animais ameaçadas de extinção no Brasil, 171 são da Mata
Atlântica.


Desmatamento acelerado


A Mata Atlântica possui 1,361 espécies de vertebrados e mais
de 20.000 espécies de plantas

Um estudo da organização ambientalista Conservation International (CI)
coloca a Mata Atlântica entre os cinco primeiros colocados na lista dos
Hot Spots, áreas de alta biodiversidade mais ameaçadas do planeta e
prioritárias para ações urgentes de conservação.

O motivo é o desmatamento - e a conseqüente perda de habitat - ainda
acelerado e fora do controle dos órgãos públicos responsáveis. Desde 1988,
a Constituição Federal declara a Mata Atlântica patrimônio nacional e, em
1993, através do decreto 750, definiu-se legalmente o domínio da Mata
Atlântica e a proteção aos remanescentes florestais e matas em
regeneração. Mas o decreto 750 deveria ser transformado em lei
complementar para consolidar a proteção federal à Mata Atlântica. Enquanto
isso não acontece, os estados definem suas próprias regras, nem sempre
capazes de conter o desmatamento.


O desmatamento da Mata Atlântica tem o ritmo de um campo de
futebel a cada quatro minutos

O monitoramento desse ecossistema realizado pela Fundação SOS Mata
Atlântica, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
(INPE) e o Instituto Socioambiental (ISA), mostrou que, somente entre 1990
e 1995, mais de meio milhão de hectares de florestas foram destruídos em
nove estados nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, que concentram
aproximadamente 90% do resta da Mata Atlântica no país.

Esse valor é equivalente a mais de 714 mil campos de futebol eliminados do
mapa em apenas cinco anos, a uma velocidade de um campo de futebol
derrubado a cada quatro minutos. Uma destruição proporcionalmente três
vezes maior do que a verificada na Amazônia no mesmo período. Somando-se
esses números aos do estudo anterior, referente ao período 85-90, chega-se
à cifra de 11% de Mata Atlântica destruída em dez anos, provocando uma
queda de 8,8% para 7,3% na estimativa de mata primária e secundária em
estágio avançado de regeneração, remanescente em todo o país.


Fonte: SOS Mata Atlântica/INPE/ISA Remanescentes da Mata Atlântica: o
que resta hoje de Mata Atlântica

Nenhum comentário:

Postar um comentário